Nestlé Brasil e SENAI apoiam descarbonização na cadeia produtiva do cacau

Nenhum22/03/2024
Tornar a produção da matéria-prima mais sustentável é um dos objetivos da Chamada Nestlé e SENAI
Imagem sobre Nestlé Brasil e SENAI apoiam descarbonização na cadeia produtiva do cacau

A descarbonização na cadeia produtiva do cacau é crucial para mitigar os impactos das mudanças climáticas, promover a sustentabilidade ambiental e garantir a viabilidade a longo prazo do setor. Isso inclui a redução das emissões de gases de efeito estufa em todas as etapas da produção, desde o cultivo até a comercialização. 

 E é pensando nisso que, a Nestlé Brasil e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), apoiado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), estão com o edital “Inovação em Alimentos: Transformando o Futuro do Sistema Alimentar” aberto.

 O aporte é de R$ 6,25 milhões, sendo R$ 5 milhões da Nestlé e R$ 1,25 milhão do SENAI.  Um dos objetivos da chamada é encontrar soluções para problemas relacionados ao sequestro e redução da pegada de carbono.

Quem pode participar da chamada? 

A chamada tem como público-alvo Institutos Senai de Inovação, Institutos de Ciência e Tecnologia – ICT’s e universidades (públicas ou privadas), empresas da cadeia de valor do setor de alimentos e bebidas, pequenas e médias e grandes empresas, startups, empresas de base tecnológica e agências de fomento para projetos de P&D+I, com CNPJ ativo. A inscrição, com o desenvolvimento das alianças e submissão das propostas de projetos deve ser feita até o dia 4 de abril de 2024, no site: senaipr.org.br/futuro-alimentar 

 

Autossuficiência

 Augusto de Souza da Silva, pesquisador do Instituto (IST) de Alimentos e Bebidas, de Belo Horizonte, aponta os principais gargalos do setor, que incluem: a emissão de gases de efeito estufa, o desmatamento, a degradação do solo e os desafios relacionados à produtividade e qualidade do cacau. 

Considerando isso, para ele, é imprescindível investir em ações que reduzam os impactos ambientais. “Práticas sustentáveis na cadeia do cacau incluem o uso de agroflorestas, sistemas agroecológicos, manejo integrado de pragas e adoção de tecnologias de baixa emissão de carbono”, explica.

 Em 2021, o Ministério da Agricultura lançou a Unidade Mista de Pesquisa e Inovação (Unipi-Cacau), em Ilhéus, na Bahia, com o objetivo de recuperar o mercado perdido nas últimas décadas e buscar a autossuficiência até 2030.  

Para o pesquisador, o lançamento da unidade é um passo importante na busca pela revitalização do mercado. “No entanto, alcançar esse objetivo exigirá um esforço conjunto de diversos stakeholders, investimentos significativos em pesquisa, inovação e infraestrutura, além de políticas públicas eficazes e apoio governamental”, afirma. 

 

Ações sustentáveis 

 Embora a aposta no cacau sustentável tenha ganhado mais força em 2023, a Nestlé Brasil tem apostado no manejo sustentável há alguns anos. A exemplo disso está o Nestlé Cocoa Plan, maior programa de sustentabilidade para cacau no Brasil, que trabalha o desenvolvimento social, ambiental e econômico nos estados da Bahia, Pará, Espírito Santo, Tocantins, Minas Gerais, Rondônia, Pernambuco e São Paulo. 

 O projeto apoia o aumento da produtividade dos mais de 4 mil produtores parceiros e tem o objetivo de alcançar 100% de cacau sustentável até 2025. O programa chegou ao Brasil em 2010 e, de lá para cá, diversas ações têm sido desenvolvidas com produtores de cacau, como: treinamentos aos agricultores sobre melhores práticas agrícolas; promoção da igualdade de gênero; orientações relacionadas ao cumprimento das leis e normas ambientais, trabalhistas e de direitos humanos. 

 O programa também oferece assistência técnica em todas as fazendas certificadas como Nestlé Cocoa Plan e paga um valor adicional pelo cacau sustentável adquirido. Assim, se desenvolve um relacionamento de longo prazo com grupos de agricultores. Além disso, o programa conta com ferramentas de geomonitoramento para garantir que não haja desmatamento nas áreas contempladas.

 A companhia desenvolveu também o assistente virtual Theo, um chatbot para dar suporte constante aos cacauicultores, respondendo dúvidas técnicas sobre as fases de cultivo do cacau no campo, condições climáticas, preço médio do cacau e entre outras. O assistente virtual é uma iniciativa inédita para os agricultores, respondendo as dúvidas diretamente pelo WhatsApp, de forma interativa, dinâmica e gratuita pelo número: (27) 99901-1960. 

 Hoje, as marcas KitKat, Alpino, Talento, Prestígio, Baton, Passatempo, Nescau, Negresco, Chocolate Dois Frades, Tabletes Garoto e tabletes Nestlé são produzidas com cacau sustentável adquirido por meio do Nestlé Cocoa Plan.   

 

Redução da pegada de carbono

Segundo Augusto, um case de sucesso na descarbonização da cadeia do cacau é a implementação de sistemas agroflorestais que combinam o cultivo de cacau com árvores nativas, reduzindo as emissões de carbono e promovendo a biodiversidade.

Além disso, o profissional reforça as principais vantagens em implementar ações sustentáveis. “A redução da pegada de carbono traz benefícios significativos para o meio ambiente, a indústria alimentícia e os consumidores finais, incluindo a mitigação das mudanças climáticas, a preservação dos recursos naturais, a melhoria da qualidade dos produtos, a promoção da saúde pública e a construção de uma imagem positiva da marca”, finaliza o pesquisador.

 Acesse senaipr.org.br/futuro-alimentar e inscreva-se!