Projetos de IA desenvolvidos por alunos de Residência são detalhados em booklet do HUB de IA do Senai no Paraná

Notícias
Ao todo, 20 estudantes passaram pelo programa, desenvolvendo 31 soluções para indústrias de diferentes portes, em um período de 12 meses
Imagem sobre Projetos de IA desenvolvidos por alunos de Residência são detalhados em booklet do HUB de IA do Senai no Paraná

Para iniciar o ano de 2021, o HUB de Inteligência Artificial do Senai no Paraná está lançando um booklet detalhando cases e provas de conceitos (PoCs) desenvolvidas pela primeira turma de Residência em Inteligência Artificial, que encerrou suas atividades em setembro de 2020. Ao todo, 20 estudantes passaram pelo programa, sendo que 16 deles chegaram a se formar, recebendo diploma de pós-graduação Lato Sensu em Inteligência Artificial Aplicada à Indústria, pelas Faculdades da Indústria de Londrina.

“O programa de Residência em Inteligência Artificial foi inspirado nos programas de estágio supervisionado das Big Techs, com o objetivo de formar profissionais capacitados para atuação no mercado e com conhecimento de tecnologias contemporâneas. Ao longo de 12 meses de trabalho, foram trabalhados 31 projetos, com entregas consideradas satisfatórias pelas 13 empresas patrocinadoras”, conta Muriel Mazzetto, consultor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do HUB de IA do Senai no Paraná.

Para ele, o principal diferencial do programa está na atuação em projetos e demandas reais de toda a indústria nacional, independente do nicho de atuação. “Muitas empresas não têm profissionais capacitados ou gente suficiente para atuar na área, mas têm ideias que gostariam de explorar para desenvolver novos produtos ou inovar nos meios de produção. Desta maneira, essa primeira turma teve um grande impacto no cenário de inovação em Inteligência Artificial, democratizando o conhecimento e a produção de tecnologia em empresas de todo porte”, analisa o consultor.

Entre os temas trabalhados nos projetos, estão reconhecimento de padrões em imagens, extração de informação de documentos, previsão de parada de linha de produção, previsão de produção no agronegócio, auditoria de documentos, compreensão de nichos em redes sociais, chatbots, estimativa de qualidade de produtos e previsão de manutenção de máquinas, entre outros. Para a primeira turma, o programa contou com 13 empresas patrocinadoras: Acesso Digital (atualmente Único IdTech), Agrisolus, Bosch, Cocamar, CNR, FarmGo, Grupo Boticário, Integrada, QExpert, Unimed Londrina, Rumo, Sicoob Metropolitano (Maringá) e Veltec (atualmente do Grupo Trimble).

Continuidade do programa

De acordo com Muriel, os resultados obtidos pela primeira turma ainda motivaram a continuação do programa, com uma segunda turma, que já está na metade do ciclo, e também a abertura de uma terceira turma em 2021, tendo em vista o interesse de empresas que visam aproveitar esse impulso na inovação tecnológica. Para saber mais, acesse www.senaipr.org.br/tecnologiaeinovacao/nossarede/hubia/.