Produto anticorrosivo inovador, desenvolvido pelo Senai no Paraná, promete levar mais tecnologia ao setor industrial

CASES
Pesquisadores do Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica desenvolveram um revestimento inteligente que combate corrosão em superfícies metálicas de aço
Imagem sobre Produto anticorrosivo inovador, desenvolvido pelo Senai no Paraná, promete levar mais tecnologia ao setor industrial

Uma pesquisa realizada recentemente pelo Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica (ISI-EQ), localizado em Curitiba, pretende contribuir para o desenvolvimento de projetos inovadores e novos produtos no setor industrial, resolvendo o problema da corrosão em superfícies metálicas de aço. “Trata-se de uma tecnologia disruptiva para o mercado nacional e internacional, tendo um potencial enorme para criação de novos produtos, com maior sustentabilidade e alto valor agregado”, destaca Filipe Miguel Cassapo, gerente do ISI-EQ.

Por meio de uma parceria com o Departamento de Química da UTFPR, uma equipe de pesquisadores desenvolveu um revestimento inteligente (ou smart coating) com alta capacidade de proteção anticorrosiva. O que o diferencia de produtos comerciais similares é a utilização de microcápsulas, que permitem que a tinta tenha a capacidade de atuar de maneira autônoma e “inteligente”, sem a necessidade de intervenção humana, promovendo uma autorreparação onde há início de corrosão.

Alexandre Cordeiro, analista de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no ISI-EQ e responsável pelo projeto, explica detalhes de como o revestimento inteligente com microcápsulas funciona na prática. “Neste projeto, trabalhamos com um revestimento chamado de self-healing coating, em que a tinta possui a capacidade de se autorreparar quando sofre um dano mecânico (risco), por exemplo. Um produto com essa característica é extremamente inovador e revolucionário para o mercado de tintas e revestimentos, pois um dos maiores problemas nesta área é a perda da funcionalidade do material ou produto devido ao processo de corrosão”, afirma.

De acordo com ele, quando a superfície é coberta por uma tinta convencional, a corrosão acaba sendo favorecida quando o filme da tinta sofre defeitos mecânicos, como trincas ou microfissuras, mas esse problema é minimizado se houver utilização do revestimento inteligente desenvolvido pelo ISI-EQ. “Com essa pesquisa, transformamos uma tinta convencional em self-healing coating por meio da adição das microcápsulas. As microcápsulas por sua vez, atuam de maneira a liberar o agente de cura encapsulado, formando um filme de proteção passiva. Para validar esta inovação, a tinta com aditivos foi danificada propositalmente e testada sob ensaios corrosivos e eletroquímicos, nos quais foram obtidos excelentes resultados. Desta forma, comprovou-se que o revestimento desenvolvido apresentou propriedades melhoradas de resistência à corrosão, quando comparado com o revestimento comercial”, completa.

Na imagem abaixo, é possível observar os resultados obtidos através dos ensaios de corrosão, mostrando que o revestimento desenvolvido apresentou uma melhora significativa em termos de proteção anticorrosiva, quando comparado com a tinta comercial testada por 192h em condições corrosivas.

produto anticorrosivo Senai PR

Sobre o ISI Eletroquímica

Criado em 2013, o Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica (ISI-EQ) foi o primeiro instituto do Senai a ser inaugurado no Brasil. Com infraestrutura laboratorial e recursos humanos altamente capacitados, realiza pesquisas aplicadas à indústria, desenvolvendo projetos de alto impacto industrial, tecnológico e econômico. Atualmente, é uma unidade credenciada pela Embrapii, oferecendo atendimento nas áreas de Baterias, Revestimentos Inteligentes e Sensores Eletroquímicos. Também atua nas áreas de geração e armazenamento de energia; monitoramento e diagnóstico rápido para bioprocessos; e caracterização, monitoramento e controle da corrosão.